Menu
RSS


«Lumière! L'aventure commence» (Lumière! A Aventura Começa) por Aníbal Santiago

"Lumière!" recupera e dá nova vida a cento e catorze obras filmadas com recurso ao cinematógrafo, todas exemplarmente restauradas e reunidas no interior de capítulos temáticos que permitem uma espécie de visita guiada a um pedaço inaugural e fundamental da História do Cinema. Ou seja, estamos perante um documento de enorme valia, que nos transporta a algumas das memórias mais profundas do cinema e da sua linguagem, sempre com a excelente companhia de Thierry Frémaux. Diretor do Festival de Cannes e do Instituto Lumière, Frémaux assume aqui o papel de realizador, narrador, professor e guia, com os seus comentários a contarem com pertinência, ritmo, demonstrações de conhecimento e paixão pelo cinema. Não estamos diante de um discurso que resume aquilo que podemos encontrar na Wikipedia, ou meramente descritivo, mas sim algo simultaneamente pessoal, simples e informativo, por vezes pontuado por algum humor e um entusiasmo sentido. 

Ao longo do documentário, Frémaux coloca-nos não só perante as grandes linhas temáticas dos Lumière e dos seus operadores, mas também pelas descobertas e experiências que estes pioneiros efetuaram. Note-se os travellings que são expostos de forma amiúde (na época denominados de panorâmica), o aproveitamento da profundidade de campo, os enquadramentos precisos, a procura de dar movimento aos planos fixos ou o experimentalismo. Um simples plano fixo a captar um grupo de peixes no aquário permite incutir movimento às imagens, jogar com a iluminação e as sombras, e provocar uma certa sensação de encanto. Temos ainda a "invenção" dos remakes, com "La Sortie de l'Usine Lumière à Lyon" a contar com três versões, ou a introdução do suspense e dos gags humorísticos, com "Lumière!" a expor um período fervilhante onde as possibilidades do cinematógrafo e do cinema estavam a ser testadas.

O humor faz parte de diversos filmes com a chancela Lumière, com o oitavo capítulo do documentário a ser dedicado a estas obras. Na nossa memória fica "L'Arroseur arrosé", mas também o acerto dos comentários do realizador, sobretudo quando aborda a maneira como os irmãos e os seus operadores chegavam ao efeito pretendido. Atente-se aos filmes em que aparece um indivíduo a rir para reforçar o efeito cómico ou a forma efusiva com que alguns elementos reagem quando estão a ser filmados. Fora deste âmbito, temos o destaque dado ao fumo ou ao movimento inverso de uma parede que é derrubada, entre outros exemplos. Temos ainda o "primeiro" filme de suspense, em particular, uma obra na qual um bebé caminha de forma temerosa e desengonçada. Será que cai? Será que avança sem se aleijar? Estas são questões que se colocam e são rapidamente respondidas, enquanto ficamos diante de um número considerável de obras que vão desde a famosa “L'Arrivée d'un train en gare de La Ciotat”, da qual sobressai o uso das diagonais, até aos trabalhos de uma série de operadores de câmara que se deslocaram a diversos lugares do Mundo.

Essas deambulações permitem captar quer o lado mais pitoresco e exótico desses territórios, quer a faceta mais perniciosa destes espaços, com "Indochine: Enfants annamites ramassant des sépèques devant la Pagode des dames" a surgir como um triste exemplo do colonialismo. Estamos perante pequenos retratos de uma época, nos quais muito é encenado e imensa vida é captada, com "Lumière!" a transmitir a criatividade dos irmãos do título quer como inventores, quer como realizadores, seja a comporem planos ou a criarem tesouros que rondam os cinquenta segundos e contam com um valor inestimável. Mais do que deixar-nos diante de inventores, Frémaux coloca-nos diante de realizadores que não se limitam a filmar ao acaso, com o cineasta a justificar quase todos os argumentos que expõe ao mesmo tempo que desperta uma certa sensação de encanto. Pelo meio, Frémaux realça algumas particularidades destes filmes ao compará-los com obras de Ozu, Kurosawa, Spielberg, Eisenstein e Visconti, algo que permite reforçar o papel dos Lumière como cineastas.

Filme de abertura da 18ª edição da Festa do Cinema Francês, “Lumiére!” não só é uma magnífica escolha para abrir o certame, mas também um exemplo paradigmático da riqueza do cinema e da sua História e do quão necessário é preservar as suas memórias.

Aníbal Santiago



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos